quarta-feira, 1 de abril de 2009

Educação Infantil (PCN´S)

1. EDUCAÇÃO FÍSICA INFANTIL

A educação infantil tem como finalidade o desenvolvimento integral de crianças até seis anos de idade em seus aspectos físicos, psicológicos, intelectual e social complementando a ação da família e da comunidade. (Lei 9394/96 artigo 29). A partir dessa lei a educação infantil vem evoluindo atendendo tanto em conhecimento como em atendimento fora do ambiente familiar.
A educação na pré-escola cada vez mais se torna um investimento para o desenvolvimento da criança desde os primeiros anos de vida até o ingresso da escolarização na 1 º série.
As características da educação infantil condicionam as atividades das crianças às rotinas, às dimensões relacionais, ao domínio da língua falada, à cultura e como são criados.
A proposta pedagógica na pré-escola deve ser interpretada aos interesses imediatos das crianças e os saberes já construídos por elas e garantir o direito à infância da criança.
A lei das Diretrizes e Bases promulgada em 20 de Dezembro de 1.996 busca transformar o caráter que a Educação Física assumiu nos últimos anos; no art. 26 “a Educação Física ajustando-se às faixas etárias e às condições da população escolar, sendo facultativa nos cursos noturnos”, ou seja, a educação física deve ser exercida em toda a escolaridade proporcionando a integração a um projeto pedagógico em todas as faixas etárias e em todas as escolas.
O documento - Parâmetros Nacionais Curriculares de Qualidade para Educação Infantil - constitui um referencial de qualidade em todo o País. Configuram uma proposta flexível e responde às necessidades regionais, a partir da qual o sistema educacional do país se organize para garantir que sejam respeitadas as diversidades culturais, religiosas, étnicas e políticas.

A.1 - Concepção - processos

O trabalho na área da Educação Física tem seus fundamentos e concepções de corpo e movimento, considerando as dimensões sociais, políticas e afetivas que irão se interagir no desenvolvimento social e como cidadão.
A proposta dos Parâmetros Curriculares Nacionais adotou um sistema fisiológico que se relaciona dentro de um contexto sociocultural entendendo-se a Educação Física como uma cultura corporal.
A cultura é um conjunto de códigos simbólicos reconhecíveis pelo grupo, ou seja, um individuo é formado por esses códigos durante sua infância, apreendendo os valores desse grupo e mais tarde introduzi-lo nas obrigações da sua vida adulta.
A concepção dessa cultura corporal incorporada pela Educação Física tem como seus conteúdos: jogos, esportes, danças, ginástica e lutas; tendo em comum a representação corporal com características lúdicas. Cada uma dessas manifestações age como benefícios fisiológicos e psicológicos e suas possibilidades como instrumentos de comunicação, expressão, lazer e cultura formulando então as propostas pedagógicas para a Educação Física escolar.

É de fundamental importância esclarecer os objetivos da Educação Física escolar e os objetivos no esporte, na ginástica, nas lutas, pois, servirão apenas como instrumentos de trabalho e como referências, o profissionalismo jamais deve ser meta principal da escola. A educação Física terá que dar oportunidades a todos os alunos e isso se deve também aos alunos portadores de deficiências físicas que não poderão ser privados das aulas. Portanto, a Educação Física escolar tem como tarefa garantir que o aluno tenha práticas de cultura corporal, contribuindo para a construção do ser cidadão.

A.2- Concepção – Constituição de Vínculos

Com a Educação Física as práticas corporais permitem que a crianças experimentem, se expressa em um conjunto de características de personalidade e estilo pessoal. Brincar, jogar, correr, dançar, permitem práticas onde as crianças possam ter interação umas com as outras, permitindo conhecer uns aos outros. Esses vínculos constituídos será um conjunto de características de personalidade, como um é e o outro é, o que um gostaria de ser, como outro imaginaria ser. A interação entre os adultos é muito importante, pois as crianças acabam copiando tudo o que os adultos fazem. Os cuidados com o conforto, as trocas de vestuário, vão dando referencias básicas sobre o próprio corpo, na faixa de zero a seis anos os cuidados essenciais assumem um caráter prioritário na educação da criança.
Em relação aos adversários a postura diante deles será de atitudes de solidariedade, respeito e dignidade, levando em conta sempre a humildade principalmente nas vitorias, e saber sempre lidar com as derrotas.
A Educação Física escolar possibilita uma análise crítica de valores sociais como beleza e saúde que se tornam dominantes em sociedade - a exclusão social - ajudando e possibilitando atuação no meio dela. Com as práticas corporais o educador consegue trabalhar com a exclusão e discriminação social fazendo-as interagirem por meio do esporte, da dança e das lutas respeitando sempre o próximo.

A.3 - Concepção – expressão da sexualidade.

Em sua concepção de consciência corporal a criança começa a reconhecer a imagem de seu corpo que ocorre principalmente nessas interações entre brincadeiras e jogos. Nessas situações as crianças apreendem a reconhecer suas características físicas que é de fundamental importância para a sua identidade.
Nas brincadeiras do faz-de-conta o professor de Educação Física desenvolve um importante papel, observando as crianças e suas diferentes situações, pois elas revivem cenas e gestos que acabam vivenciando em diferentes lugares. Nessa situação a observação desempenha um importante papel.
O conhecimento sobre o corpo é um processo natural da criança e o desenvolvimento das práticas corporais vai ajudá-las no cultivo de bons hábitos e apreender a lidar com elas mesmas. A formação de auto-cuidado e de construção de relações pessoais colabora para que a dimensão da sexualidade seja integrada de maneira prazerosa e segura.
As convivências entre meninos e meninas os levam a aprender umas com as outras, compreendendo a diferenças entre elas.
O professor de Educação Física tem que estar atento a tudo e tomar cuidado, principalmente com os jogos e brincadeiras que compõem o repertório infantil sendo que essa fase é super delicada para a criança.
A recepção dos adultos diante das curiosidades e das perguntas ligadas a sexualidade podem suscitar diferentes reações nas crianças, desde atitudes de provocação e exibicionismo até atitudes de extremo retraimento e culpa. Nos jogos, nas lutas, na dança, as crianças interagem umas com as outras desenvolvendo o respeito mútuo, buscando participar sempre de forma amigável.

B) Aprendizagem.

Na educação básica, os jogos motores e brincadeiras que completam a progressiva coordenação dos movimentos e o equilíbrio da criança, são de extrema importância para essa faixa etária. Os jogos trazem regras e oportunidades de aprendizagem principalmente culturais e sociais, pois, as atividades físicas e jogos lúdicos fazem com que colaborem umas com as outras, respeitem as regras e aprendam a competir de forma saudável e amigável. A atividade física envolve descoberta e exploração, capacitando-as fisicamente, gerando também emoções, afetos, sentimentos e prazer. O educador deve proporcionar sempre experiências, organizando um ambiente que proporcione à criança experiências e descobertas, desenvolver capacidades corporais de equilíbrio e coordenação além de desenvolver habilidades.
É importante levar em consideração a cultura que envolve o redor da criança, pois, são inúmeros os jogos existentes nas diferentes regiões do Brasil, cabe ao professor fazer um levantamento desses jogos para obter um interesse certo na criança.

C) Objetivo

A prática educativa deve ser organizada e dividida por faixas etárias.

Os principais objetivos para crianças de zero a três anos são:

- Familiarizar-se com sua imagem descobrindo sua identidade;
- Explorar capacidades motoras e de equilíbrio explorando atitudes de autoconfiança, interação com as demais crianças;
- Desenvolver expressão, sensações e ritmos corporais por meio de gestos, posturas e linguagem oral.

Os principais objetivos para crianças de quatro a seis anos é:

- ampliar as possibilidades expressivas do próprio corpo;
- explorar qualidades de movimento como força, velocidade, resistência e flexibilidade, conhecendo limites e potência do seu corpo;
- conhecer habilidades na utilização de jogos lúdicos, brincadeiras, danças, lutas e demais situações;
- desenvolver atitudes de interesse e cuidado com o próprio corpo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário